Arte & Opinião
Metodologia

Indice
Início
Artigos
Metodologia
Modelos
Bibliografia
 
Resumo do Livro Metodologia de Pesquisa - Um estudo conceitual - KERLINGER, Fred N.
 

 

 

Apresentação

Uma das grandes realizações científicas e técnicas do século é a mensuração da inteligência, ela pode ser medida com segurança e validade.
Isto não significa solução para os problemas ou fórmulas para lidar com depressão, preconceito e economia, significa redução considerável da grande ignorância que permeia estes e outros problemas psicológicos e sociais semelhantes.
Significa certa medida de compreensão, compreensão que pode nos fornecer as razões, senão os remédios, da nossa infelicidade/felicidade, de nossos fracassos/sucessos.
Os cientistas acreditam que, com condições apropriadas e metodologia, pode-se conseguir uma compreensão limitada da maioria dos fenômenos naturais. Apesar da compreensão e do conhecimento absoluto estar fora de nosso alcance, a compreensão e o conhecimento probabilístico limitado não estão.

Estudar relações e entrar em ação está em dois níveis diferentes de discurso que não se podem unir facilmente. A pesquisa científica jamais teve como propósito resolver problemas humanos e sociais a meta é preocupação as com variáveis e suas relações.

pdf Obtenha a versão em PDF
 

  • Metodologia da Pesquisa em Ciências Sociais
    Um tratamento conceitual

     

    Considerações Iniciais

     


    O estudo sobre o sistema interativo de aprendizado vem juntar-se a muitos outros, elaborados por diversas instituições de ensino superior, visando assim, analisar o processo educativo deste, conhecer seu funcionamento e passar a compreendê-lo e compará-lo com o processo de aprendizado presencial.
    A ideia central é analisar todos os aspectos de aprendizagem com o objetivo de apresentar um sistema que atraia e promova pesquisas relacionadas à gestão deste sistema, com base nos estudos das heurísticas, pesquisa de ambiente e análise de requisitos necessários para implantação, sempre atentos às necessidades do aluno.
    Ainda sobre os aspectos de aprendizagem uma pesquisa de longe alcance já está mudando a educação na América do Norte, intitulada de: Estudos Epistemológico-Desenvolvimentais de Piaget. Durante anos Piaget observou crianças de todas as idades, entrevistando-as falando com elas, e criando problemas para que elas resolvessem. Uma das descobertas é que a criança tem uma vida intelectual própria, uma maneira de olhar a realidade diferente do adulto. A compreensão da concepção da realidade da criança, pelo educador e pelo psicólogo provavelmente afetará a interação dos adultos com as crianças, principalmente em educação. Por conseguinte, séries de estudos como estes terão um impacto na prática.


    1º ATO

     


    Compreensão = Conhecer os fenômenos psicológicos, sociológicos e educacionais e de que maneira se relacionam com as tecnologias atuais.
    Variáveis = A definição das variáveis e suas relações é o núcleo nesta pesquisa.
    Pesquisa Científica – Ensino Interativo
    “Por mais corretas ou incorretas que sejam julgadas as definições, as distinções e as consequencias, não há dúvida de que o tema requer divulgação e compreensão.” (Kerlinger 2009).
    A ciência é um empreendimento preocupado com o conhecimento e a compreensão de fenômenos naturais. Os cientistas querem conhecer os fenômenos psicológicos, sociológicos e educacionais e compreender de que maneira se relacionam.
    Quando dizemos que compreendemos um fenômeno, queremos dizer que conhecemos suas características, o que produz e quais as suas relações com outros fenômenos. A compreensão de um fenômeno é sempre incompleta, parcial e probabilística.
    A finalidade da pesquisa educacional é melhorar a prática e o pensamento educacional.
    Normalmente não é possível estudar fenômenos e relações entre fenômenos sem definir e usar diversas variáveis. Para estudar a realização escolar de crianças, cria-se e a variável realização. Isso significa que eles precisam definir e medir essa variável; devem atribuir algarismos ao aproveitamento escolar de crianças diferentes.
    Definição das variáveis
    Variável é um elemento representante do conjunto de todos os resultados possíveis de um fenômeno.
    Alguns tipos de variáveis:


    Categórica

    Todos os membros de uma categoria consideradas iguais no que diz respeito àquela variável.

    Medida

    Algarismos podem ser atribuídos a pessoas diferentes ou objetos diferentes com base na posse de quantidade de alguma propriedade.

    Manipulação ou experimento

    Designação aleatória dos sujeitos para diferentes grupos de experimentos.

    Dependente
     &
    Independente

    Variável independente é uma variável que supõe influenciar outra variável chamada dependente.
    Numa pesquisa é – antecedente & consequente -.

    Um pesquisador qualitativo pode e deve preocupar-se com a validade nas três fases da pesquisa:

    • Formulação
    • Desenvolvimento
    • Resultados

    É preciso conhecer com clareza o contexto no qual se está atuando para definir com coerência a concepção de validade que será adotada e explicitar os critérios que então serão úteis.
    A direção de uma relação é ela ser positiva ou negativa:
    Positiva – Dois conjuntos de medidas de um conjunto de pares ordenados variam juntos
    Negativa – Se variam simultaneamente na direção oposta.
    Vale ressaltar que a definição simples de três variáveis não explica de forma definitiva esta teoria, pois a relação é complexa.
    O foco é a sistemática entre as variáveis e o conjunto relacionados entre elas.
    A compreensão de uma pesquisa exige aprendizado relacionado a aplicações diferentes das ideias de estatísticas – analisando os dados quantitativos obtidos de amostras de observações com o fim de resumir os dados e aceitar ou rejeitar relações hipotéticas entre estas variáveis.
    Como o primeiro propósito é a descrição, sugere-se usar métodos estatísticos para reduzir grande quantidade de dados e ajudar a fazer inferências seguras a partir deles.
    A pesquisa deve delinear os dados buscando conteúdo – boa teoria, bons problemas, boas hipóteses – e estruturá-las adequadamente.
    A diferença fundamental entre pesquisa não experimental e experimental está no controle da p, as variáveis independentes. Nos experimentos, os p podem ser manipulados à vontade do pesquisador.
    A pesquisa não experimental lida com variáveis que são características de gente (variável de status), e não são manipuláveis:

    • Classe social
    • Sexo
    • Inteligência
    • Preconceito
    • Autoritarismo
    • Ansiedade
    • Aptidão
    • Realização
    • Valores

    Em resumo, um delineamento de pesquisa tendo apenas um grupo experimental é sempre insatisfatório teoricamente.


    Documento Referência CONAE
    No Documento-Referência da CONAE (Conferência Nacional de Educação), há uma série de pertinentes considerações sobre a importância da ampliação da chamada educação tecnológica, sobretudo no incentivo à presença dos laboratórios de informática nas escolas, pesquisas on-line e intercâmbios científicos e tecnológicos, nacional e internacional, entre instituições de ensino, pesquisa e extensão. Contudo, nota-se a ausência de uma reflexão mais desenvolvida sobre a forma como as novas TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) determina os rumos dos atuais processos de ensino e aprendizagem.


    MENSURAÇÃO
    Mensuração é a atribuição de algarismos a objetos ou eventos de acordo com regras (STEVENS, 1951). Eis um excelente exemplo de definição vigorosa, no sentido de ser simples geral e não ambígua. Se desejar medir alguma coisa, faça um conjunto de regras que especifiquem como atribuir algarismos e objetos.

     

    2º ATO
    Expectativas do professor e do aluno no processo do aprendizado.

     

     

    DIDÁTICA x APRENDIZADO
    EDUCAÇÃO
    Implica numa RELAÇÃO ente pessoas em um determinado momento. É o processo pelo qual as pessoas adquirem domínio e compreensão de certos conteúdos considerados necessários.
    DIDÁTICA
    É uma disciplina de Pedagogia, que estuda a RELAÇÃO do professor com o aluno. A aprendizagem é o resultado obtido no processo de ensino, na RELAÇÃO existente em sala de aula.
    AS EXPECTATIVAS E AS PROFECIAS AUTO-REALIZADORAS
    Profecias Auto-Realizadoras:
    São as expectativas que o professor tem em relação ao aluno (e vice-versa), que pode influenciá-lo em seu desempenho.


    3º ATO
    Estado Social & Sociedade da Informação
    Sociedade da Informação

     


    No desenvolvimento global da sociedade da informação, podemos identificar as 10 maiores tendências que já se encontram em forte progresso – (CASTELLS 2000-2002-2004 / HIMANEN 2001-2002-2004).

    • Aumento da competitividade internacional nos impostos
    • A nova divisão global do trabalho
    • Envelhecimento da população
    • Pressões crescentes na sociedade do bem-estar
    • A segunda fase da sociedade da informação
    • A ascensão das indústrias culturais
    • A ascensão das bioindústrias
    • Concentração regional
    • Uma divisão global mais profunda
    • A propagação de uma cultura de emergência

    Permitindo alguma simplificação, há três modelos especialmente dinâmicos em termos de tecnologia e economia, ainda que baseados em modelos sociais muito diferentes. (CASTELLS & HIMANEN & WONG). Modelos dinâmicos em termos de tecnologia e economia:

    • Silicon Vally – Modelo neoliberalista americano
    • Singapura – Modelo gerido pelo Estado asiático no qual o objetivo é atrair empresas multinacionais
    • Finlandês – Uma combinação européia da sociedade da informação e do Estado Social

    A lista seguinte escreve os valores que podem servir de base à continuidade da combinação do Estado Social e da sociedade da informação. São versões atualizadas dos valores subjacentes ao Estado Social europeu e empreendedorismo inovador. Uma reforma de sucesso requer dos políticos, valores-base de gestão. Modelo para continuidade da combinação do Estado Social e da sociedade da informação:

    • Preocupar-se
    • Confiança
    • Comunalidade
    • Encorajamento
    • Liberdade
    • Criatividade
    • Coragem
    • Visão
    • Equilíbrio
    • Significado

    As pessoas podem considerar que as mudanças na sociedade da informação são de índole técnica, há que enfatizar que, de acordo com a investigação, a produtividade aumenta quando a inovação tecnológica e de processos se combinam.
    A Base
    Um sistema educacional inclusivo e de elevada qualidade.
    O sucesso da sociedade da informação e a existência de oportunidades iguais na sociedade do bem-estar são, eventualmente, baseados num sistema de formação e educação inclusiva e de elevada qualidade.
    Na sociedade da informação, onde a aprendizagem ocorre durante o período de vida, as escolas não deveriam apenas distribuir informação, mas também criar uma autoconfiança e competências sociais, bem como ajudar os alunos a auto-realizarem-se identificando os seus talentos e paixões criativas.
    Além disto, o desafio associado à aprendizagem vitalícia na sociedade da informação requer que as pessoas aprendam a aprender — e que se tornem capazes de identificar problemas, gerar ideias, ser autocríticos, resolver problemas e trabalhar com outras pessoas.
    A formação de professores devia ser mais atenta a estes assuntos.


    4º ATO
    Pesquisa qualitativa – Resultado com base no conhecimento cognitivo
    PESQUISA QUALITATIVA

     

     


    Segundo o Dicionário HOUAISS(2001) validade é definido como qualidade e diferentes percepções serão agrupadas em três blocos:

    • Formulação (VALIDADE PRÉVIA)
    • Desenvolvimento (VALIDADE INTERNA)
    • Resultado (VALIDADE EXTERNA)

    A pesquisa qualitativa tem caráter amplo e pormenorizado, compreensão direta do que deve ser medido e também interpretativista.
    Ljungberg (2010) conclui que a validade em pesquisas qualitativas está relacionada com a responsabilidade no tratamento das informações obtidas e nas decisões do pesquisador, envolvendo preocupação ética.
    Hartmut (2006) apresenta uma lista de diversas perguntas que orientariam a avaliação da validade interna de pesquisas qualitativas:

    • As perguntas da pesquisa estão claramente formuladas?
    • O delineamento da pesquisa é consistente com seu objetivo e com suas perguntas?
    • Os paradigmas e os construtos analíticos foram bem explicados?
    • A posição teórica e as expectativas do pesquisador foram evidenciadas?
    • Adotaram-se regras explícitas nos procedimentos metodológicos e analíticos?
    • Os procedimentos metodológicos e analíticos estão bem documentados?
    • Os dados foram coletados em todos os contextos, tempos e pessoas sugeridos pelo delineamento?
    • O detalhamento da análise leva em conta resultados não esperados e contrários aos esperados?
    • A discussão dos resultados leva em conta possíveis alternativas de interpretação?
    • Os resultados são congruentes com as expectativas teóricas?
    • Explicitou-se a teoria que pode ser derivada dos dados e utilizada em outros contextos?
    • Os resultados são acessíveis para a comunidade acadêmica e para os usuários no campo?
    • Os resultados estimulam ações – básicas e aplicadas- futuras?

    Na formulação dos registros de pesquisas, apoiado na teoria de GUNTHER (2006) usa-se a triangulação (formulação + desenvolvimento + resultado), pois auxiliam nas abordagens múltiplas a fim de evitar distorções devido a um método, uma teoria ou um pesquisador, possibilitando inclusive o acompanhamento de cada fase.
    Ainda Lisa Guion (2002) define cinco tipos de triangulação:

    • Dados
    • Pesquisadores
    • Teorias
    • Metodologia
    • Ambiental

    Há um segundo tipo:

    • Entrevista
    • Observação
    • Estudo de caso
    • Grupos focais

    Por que se faz pesquisa qualitativa

    • Os pesquisadores estão interessados nas experiências, interações e documento em seu contexto original;
    • Transformar as situações sociais em texto é uma preocupação central;
    • A pesquisa qualitativa se abstém de conceitos bem definidos que possam ser testados. Os conceitos são desenvolvidos e refinados no processo da pesquisa;
    • A pesquisa qualitativa leva a sério o contexto;
    • Parte da ideia de que teoria e métodos devem se ajustar um ao outro;
    • Os pesquisadores são uma parte importante o processo de pesquisa.

    Pesquisa qualitativa como discurso moral e como disciplina acadêmica

    • A pesquisa qualitativa envolve a busca de respostas para transformar o mundo.
    • Portanto, a pesquisa qualitativa é política, no sentido de que os pesquisadores de certo modo, definem de que lado está.
    • Mas é também uma ferramenta da pesquisa social para entender o mundo e produzir conhecimento sobre ele.

    Perspectivas de pesquisa qualitativa
    De uma maneira muito geral e introdutória, as perspectivas de pesquisa qualitativa podem ser:

    • Abordagens dos pontos de vista subjetivos, como o interacionismo  simbólico e a fenomenologia.
    • Descrição da formação das situações sociais, como a etnometodologia e o construcionismo.
    • Análise hermenêutica das estruturas subjacentes, como a psicanálise e o estruturalismo.

    Qualidade na pesquisa qualitativa em 4 níveis:

    • O interesse dos pesquisadores em saber o quanto sua pesquisa é boa ou insuficiente.
    • O interesse das instituições de fomento em avaliar os projetos e pesquisas.
    • O interesse dos editores de publicações acadêmicas na decisão sobre o que publicar ou não publicar.
    • O interesse dos leitores em orientações sobre em qual pesquisa confiar e em qual não confiar.

    No caso de uma pesquisa relacionando professores, podem entender que as expectativas do professor com relação aos métodos de ensino devem ser medidas e classificadas, sugiro que as ações envolvam um Estudo de Caso, pois o conhecimento cognitivo não pode ser medido isoladamente.
    Podemos definir:

    • Formulação dos pontos que podem ser melhorados
    • Desenvolvimento de ações específicas
    • Definir quais os resultados esperados

    A aplicação de cursos de especialização, no sistema EAD agrega conhecimento e motiva o profissional envolvido.
    Além disso, os sistemas de internet já oferecem bibliotecas virtuais, orientadores on-line, fórum abordando as lições aprendidas e promovendo a melhoria contínua.
    Lógico que a medida razoável é a gestão das atividades, visando:

    • Definição de espaço
    • Foco na qualidade total a informação
    • Ferramentas adequadas

    Ainda neste caso, o desenvolvimento e gerenciamento são promovidos por profissionais com formação em diversas áreas de saberes.


    Metas para a Educação Qualidade X Quantidade
    A meta para a educação é incentivar e motivar o aluno a “aprender a aprender”.
    Entender a perspectiva do aluno no processo de aprendizado ajuda a motivá-lo a aprender a aprender.
    Considero quatro perspectivas para a realização de pesquisa:

    • Perspectiva do aluno
    • Perspectiva do professor em relação ao aluno
    • Perspectiva da metodologia
    • Perspectiva de aplicação do que é aprendido

    Pesquisa Qualitativa
    Ação 01
    Método de pesquisa qualitativa para compreender estas perspectivas é mais adequado, pois estou lidando com pessoas e o conhecimento cognitivo.
    Ação 02
    Aplicar o Estudo de Caso, pois tem caráter descritivo.
    Pesquisa Quantitativa
    Ação 01
    A definição as variáveis dependentes e independentes promove pesquisa experimental.
    Ação 02
    Comparar as variáveis em situações de pesquisa experimental em ambiente aleatório.


    Sobre o documento final do CONAE

     


    A Tecnologia da Informação e Comunicação envolve todos os segmentos da sociedade. Posso considerar que a infância dos dias atuais mantem uma relação muito próxima a essa tecnologia, inclusive, com excesso e informação e, percebo também que, em alguns casos, não há tempo para assimilar esta quantidade de informação.
    Nesta situação é importante entender que o computador não é só uma ferramenta de trabalho ou entretenimento, mas uma poderosa tecnologia que permite a integração de pessoas.
    Neste contexto, tecnologia + informação + pessoas, acredito que os aspectos psicológicos, sociológicos e educacionais devam ser avaliados.
    Entendo que em curto prazo possa ser inserido nos processos de aprendizagem, sendo um complemento positivo para a educação.
    A gestão da tecnologia da informação cabe neste contexto, pois promove a pesquisa e gerenciamento de informações que agregam valores para a educação.
    A inclusão digital permite uma relação dinâmica entre o professor e aluno, pois engloba também as seguintes visões, se o sistema for EAD:

    • Baixo custo operacional
    • Horário flexível de estudo
    • Integração de alunos de várias regiões

    A inovação também é outro valor positivo, pois as pessoas envolvidas podem discutir as suas realidades e confrontá-las, buscando troca de experiências e saídas com o apoio do Estado.
    Considerações finais
    A validade assume concepções complexas e, na elaboração do conceito deve existir uma preocupação de garantia da validade começando com a compreensão direta do que deve ser medido, objetivo que deve ser alcançado à explicação e resultados, que são atributos de pesquisas quantitativas. O ponto negativo da pesquisa qualitativa é seu caráter descritivo e narrativo buscando a análise e compreensão.
    Sugere-se, portanto investigar como associar a pesquisa qualitativa e quantitativa, sinalizando para um caminho adequado para a validade interpretativa.
    Metodologia Q
    William Stephenson (1953) - Conhecido por desenvolver a Metodologia Q, que é derivada da palavra quantum, devido ao paralelo com a mecânica quantum.
    A metodologia baseia-se em técnica pessoal utilizada em psicologia social ou na teoria que permite uma abordagem científica para o estudo das ideias subjetivas; usando avaliação quantitativa das respostas positivas e negativas às demonstrações das principais tendências do comportamento humano em um grupo para refletir suas interpretações.
    Os participantes deste grupo leem um número de afirmativas impressas em cartões escolhem expressões que vão, por exemplo, de “concordo totalmente” a “discordo totalmente”; assim, criam narrativas acerca de suas opiniões, atitudes, valores e crenças.
    Grupo de itens que o participante distribui é denominado Amostra Q (“Q-sample” ou “Q-set”, ou “Q-sort deck”).
    As amostras Q podem ser selecionadas de duas formas:

    • Estruturada - Estruturadas são montadas de forma sistemática, a partir da identificação de categorias de significado, e permitem que hipóteses sejam testadas, com a incorporação de considerações hipotéticas na amostra.
    • Não estruturada - O investigador escolhe o número de itens que se referem aos aspectos conhecidos sobre o assunto e, alguns casos, acrescenta itens que não aparecem no universo de ideias levantadas.

    Num estudo Q, são necessários poucos participantes, pois Willian Stephenson (1953) argumenta que raramente mais de 40 respondentes seriam necessários, porque a partir deste número os fatores se tornam bastante estáveis.
    Experimento berkowity
    Como o indivíduo reage ao receber ordem de agredir pessoas se não atingirem determinadas metas.
    Os participantes são separados em pares, o primeiro participante avalia se a resposta do segundo participante (que na verdade é um assistente) é correta e o erro causa certa quantidade de choque elétrico (1 a 10), aumentando a intensidade conforme as repostas erradas vão acumulando.
    Ao final do experimento, um terço dos participantes deram choque no assistente com valores de 0 a 7. A outra parte dos indivíduos começou a sentir irritação, enquanto que a última parte permaneceu neutra, ou seja, cumpriram a missão.
    Algoritmo ML – Modelo LISREL
    Karl Joreskog - 1967 – Algoritmo ML para análise fatorial exploratória- é Professor Emérito na Universidade de Uppsala - Suécia – (https://sweden.se), sendo ainda docente em outras instituições universitárias internacionais. Os seus interesses de investigação incluem:

    • Análises multivariadas
    • Análise fatorial
    • Análise de estruturas de covariância
    • Modelos de equações estruturais
    • Aplicações estatísticas nas ciências comportamentais e sociais.

    Em conjunto com Dag Sörbom, desenvolveu o modelo LISREL; programa de computador LISREL.
    O LISREL (Linear Structural RELationships) é reconhecido como a melhor solução para a estimação de modelos de equações estruturais, mas também como um programa estatístico complexo, difícil de aprender e utilizar.
    Um exemplo prático é “Modelação em Equações Estruturais” onde se pretende amenizar o grau de dificuldade percebida pelos usuários, adotou uma perspectiva simultaneamente pragmática e eficaz, que permite aos usuários vencer as primeiras barreiras e evoluir no processo de aprendizagem.
    Quanto o objetivo é testar a teoria, o LISREL é o método mais adequado, principalmente porque é possível comparar modelos com os índices de adequação de ajuste.


    Conceitos
    Teoria
    São ferramentas analíticas que construímos para compreender, explicar e predizer um determinado fenômeno.
    Hipóteses
    São asserções/conjecturas deduzidas da teoria e que irão ser submetidas a um rigoroso inquérito.
    Taxinomia
    Taxonomia é o ramo da Biologia e da Botânica que cuida de descrever, identificar e classificar os seres vivos, animais e vegetais. Também é a parte da gramática que trata de classificação das palavras.
    Nomotéticas
    Física – fazedora de leis; uma disciplina pode ser caracterizada como nomotética se seu objetivo básico é estabelecer leis gerais, a lei da gravidade é um exemplo. A psicologia e a sociologia são disciplinas nomotéticas, ou fazedoras de leis.
    Ideográficas
    História – Que significa descrever as coisas individualmente; descritivas. A história é um exemplo: são estudadas as relações e as supostas causas e efeitos, mas o interesse se focaliza em indivíduos, nações, organizações e acontecimentos.
    Teoria das Atribuições
    É o processo que as pessoas usam para compreender e explicar as causas do comportamento. – Psicologia Geral de Hildard.
    Teste
    É um procedimento sistemático em que se apresenta aos indivíduos a serem testados um conjunto de estímulos construídos, chamados de itens, aos quais eles respondem de uma forma ou de outra. Estas respostas possibilitam o pesquisador atribuir notas individuais, que presumivelmente indicam o grau em que os indivíduos possuem o atributo que está sedo medido, ou o grau em que eles conhecem a coisa sendo testada.
    Escala
    É semelhante a um teste, enquanto possui itens, a cada um deles deve medir o quer que esteja sendo medido. As escalas, contudo, não tem o sabor competitivo dos testes. São construídas de forma que números diferentes possam ser atribuídos a sujeitos diferentes para indicarem quantidade diferentes da propriedade ou atributo em mensuração.

 
Categoria de Artigos
 
Economia & Mercado
Qualidade Total
Governanca de TI
Planejamento Estratégico
Modelagem de Sistema
Rede de Computadores
Segurança da Informação
Ética e Legislação
Matemática Aplicada
Sistema de Informação
Banco de Dados

 
 
 
h.Linsys 1989-2018
Início |Contato | Sobre